Imagem capa - Como tudo começou | Carlos Barbosa, RS | Karol e Gio<3 por Erasio Ferreira Fotógrafo
Casamentos

Como tudo começou | Carlos Barbosa, RS | Karol e Gio<3

Com vocês a história de Carol e Gio!







Então, Não sabemos como foi que nos conhecemos, mas temos certeza que foi na Tia Inês


A Tia Inês era tipo a segunda mãe da Karol, dês de que ela e a mãe dela vieram de Camaquã foi a tia Inês que cuidou dela e eu ia lá com a minha vó, quando minha vó precisava ajudar a Tia Inês, então desde pequenos estávamos juntos.


Depois na pré escola também sempre nos víamos e eu convidava ela pros meus aniversários, apesar de não estudarmos juntos. Quando fomos para o ensino fundamental começamos a estudar juntos até a 4ª série, e depois só estudamos juntos novamente na 7ª até nos formarmos juntos.


Lembro que tinha vezes que eu me oferecia pra levar a Karol para casa depois da aula ou quando ela vinha brincar na minha casa, e eu falava para a Mari, mãe dela, que eu cuidaria dela.


Sempre estávamos juntos (estudando na mesma escola) apesar de que não conversávamos muito.


A karol sempre demonstrou interesse pela minha amizade, ficava me fazendo cosquinhas quando eu passava por ela e me chamava de “amiguinho”, me fazia piadinhas sem graça e no final dizia “sei que por dentro tu ta rindo” ( isso é até hoje) kkk!


Eu sempre tive um olhar diferente pra Karol, eu gostava de ficar olhando para ela, vendo ela com as amigas e como eu era um pouco envergonhado, pedia para as outras pessoas falarem para ela que ela era linda.


Por 2, 3 anos, não nos falamos mais, somente bom dia e tudo mais que era básico...


Sempre fui um menino meio difícil de lidar, aprontava na escola, e aí a Karol meio que se afastou


Até que um dia no meu aniversário a Karol e uma amiga dela, a Ketlin do nada vieram me dar parabéns e também me deram um presente, que tenho até hoje... Era uma caneca do Grêmio e um ursinho.


Certo dia conversando com o meu amigo Igor, estávamos falando de meninas e tudo mais e ele me pediu se eu tava gostando de alguém, porque eu tava mais calmo, mais tranquilo. E quando eu li que ele mandou isso, o primeiro nome que veio na minha mente foi: Karoline.


E aí eu disse para ele que na verdade não gostava de ninguém, mas que a Karol me encantava. (lembro até hoje desse dia ).


Nessa época eu realmente estava mais calmo, e aí a Karol notou, e se aproximou de mim, começamos a nos ligar e passar tempo juntos


Chegando em casa, eu já disse para minha mãe... VOU NAMORAR A KAROL hahaha.


E a partir daí, começou a nossa história juntos.


Começamos a namorar na escola, ficamos juntos nos intervalos e quando não estávamos juntos, estávamos cuidando um do outro, se ajudando nos temas e trabalhos


. Nos finais de semana, nos falávamos por mensagem e quando estávamos de férias da escola, acordávamos 07 horas da manhã para nos encontrarmos na ciclovia e ficar juntos.


Por sermos novos, os pais da Karol não queriam que ela namorasse, e aí passamos uma fase um pouco difícil.


Como resposta de uma oração da Ká através do Pastor Renato, percebemos que talvez seria algo bom deixarmos a nossa mente amadurecer e esperar pra namorar quando completássemos 18 anos.


Foi um período de bastante luta, mas sempre entregamos nas mãos de Deus para conseguirmos passar por esse período, até que chegássemos aos 18 anos e pudéssemos voltar a namorar.


Nos esperamos por um ano e 10 meses, já usávamos anel de compromisso, esse anel eu dei pra ela na copa de 2014 enquanto Brasil perdia pra Alemanha de 7x1 (risos) kkk.


Nesse meio tempo estudamos a bíblia juntos com o tio Ari e a tia Luci e então resolvi me batizar, me apeguei mais em Deus e comecei a frequentar a Igreja.


Depois de completar 18 anos, voltamos a namorar agora com o consentimento dos pais da Karol e dos meus pais. E assim começamos a fazer nossos planos, buscar nossos sonhos e sempre juntos.


Quando começamos a nomorar “de verdade, oficialmente,” como a Karol costumava dizer, já começamos a fazer planos de guardar dinheiro e conversar sobre o casamento, tínhamos uma lista de coisas que gostaríamos de ter no casamento, como “rosas amarelas, decoração rústica, fotos e etc”.


KAROL DIZ- O PRIMEIRO PRESENTE QUE EU DEI PRO GIO FOI UM GUARDA CHUVA, PORQUE ELE COSTUMAVA ANDAR NA CHUVA MESMO, E ACHAVA SUPER NORMAL ( A MÃE DELE QUEIMOU O GUARDA CHUVA SEM QUERER) KKKK, , E O PRIMEIRO PRESENTE QUE ELE ME DEU FOI UMA ROSA AMARELA, (TENHO ELA ATÉ HOJE) , DAÍ O GOSTO PELA FLOR E PELA COR, DES DE PEQUENA EU OUVIA UMA MÚSICA QUE DIZIA


“ele esperava por ela com uma flor amarela” Floribela


EM DEZEMBRO DE 2016 PEDI A KAROL EM CASAMENTO NA BEIRA DA PRAIA COM UM TEMPORAL CHEGANDO, DEPOIS QUE ELA ACEITOU COMEÇOU A CHOIVER, ACHO QUE A GENTE SE DÁ BEM NA CHUVA (KKKKK)


-UMA VEZ FICAMOS PRESOS SEM TER PRA ONDE IR DEBAIXO DE UM TEMPORAL NA CICLOVIA SÓ COM UM GUARDA-CHUVA TODO FURADO, E COMO ESTAVA CHOVENDO MUITO FORTE NÃO TINHAMOS PRA ONDE IR, E FICAMOS SENTADOS NO BANCO


CONVERSANDO ABRAÇADOS ( UM POUCO RÍAMOS, OUTRO POUCO A KAROL CHORAVA DE MEDO, KKK)


A PROPÓSITO, A KAROL DISSE SIM! RSRSRS


Entre lutas, entre altos e baixos, entre tempestades e momentos difíceis, encontramos a nossa calmaria, À espera da calmaria maior, o Regresso do Nosso Papai <3


OBRIGADA POR NOS ENSINAR A AMAR, Deus!


“Tempestades certamente irão nos alcançar, longe no alto mar, sem uma estrela a nos guiar, mas a calmaria virá, e mais perto estaremos do lar” Arrais.


Clique aqui para ver o casamento desses lindos!